Mengaralhaço 1 x 0 Estalinho ausente mais uma vez

Aaahhhhhh!!

Nada melhor do que um bom e assíduo freguês pra dar uma levantada na firma quando a época é de vacas magras.

Apesar de toda devoção e dedicação da nação, o angu Flamengo andou encaroçadíssimo. Dias sombrios pairaram sobre o castelão sinistro preto e vermelho.

Mas sob a bênção de São Luxa, não sem muito soco na porta, dedo na cara e chute na bunda, já é possível ver horizonte no céu grafite que cobria nosso planetão rubro-negro. E o melhor: sem nem cheiro dos ebós André Santos, Elano e o mão de pau o qual não se deve mencionar o nome.

Fizemos um primeiro tempo hoje de dignidade não vista desde a Copa do Brasil do ano passado.

Todo mundo correndo firme, semi-organizado, com jogada e pouco erro de passe.
Não sei se foi a saída de Neypatinga, a chegada do São Luxa ou a ausência dos ebós. Mas algo mudou na vitamina dos nossos soldados.

Deu gosto de ver a dedicação e o desenrole dos primeiros 45.

Príncipe Cáceres, o dono absoluto do meio-de-campo. Assumindo a responsa máxima da saída de bola com coragem, batendo a carteira dos pão-com-ovo com garbo e elegância e dividindo as pingadas ferrabrasmente como tem que ser. Já defendi sua beleza destacada aqui na nossa cozinha e volto pra declarar meu sentimento por este jovem novamente. O melhor em campo na minha humilda e irrelevante opinião. Chupa, Casalberto!

Quem chegou com frenesi no fosquete pelas estreias da noite, ao invés dos galáticos Edward o Croata da VK e Canteros, assistiu ao show de Maldinicelo. Na companhia do hour-concour Schopenwallace, o rapaz, que caiu de pára-quedas no time titular, deu aula de como ser um borracha forte na cozinha Flamenga. Não passava nem mosca nos metros quadrados vigiados pelo espadaúdo becão. Gratíssima surpresa e nobre oportunidade de encostar mais um jogador vintage do nosso scratch. Tchau, Chicão!

Destaques válidos:
– A atuação de menino Mugni, cada vez mais solto, totalmente leleke, mostrando que pode ser muito útil;
– A atuação de PV: bastaria manter o mão-de-pau filho do satanás longe da nossa casinha pra amarmos PV, mas ele foi lá e ainda agarrou maneiro;
– A sustagem que o Luizan Tônio está tomando: também quero;

Mas o deslumbre dominical só foi completo quando o enviado divino Jean Paul abençoou nosso retorno ao New Maracanan com um passe de 40 jardas certeiro na careca lustrada de Molequessandro. O rapaz da 19 não fez desfeita, estufando o barbante sofrido de Nego Jeff e comemorando feito homem, pra minha supresa.

O segundo tempo ainda reservava as emoções fortíssimas da presença de Neguebs sem freio e dúzias de bolas pingando no nosso pagode, devidamente espanadas, por bem ou por mal, pela nossa dupla de gladiadores da zaga.

3 pontos pingados na nossa continha, música nova já hit no Maraca e fizeram meu domingo mais feliz. Já estava com saudade disso tudo aqui.

Ainda estamos no cheque especial mas tem chão pra corrermos atrás desse prejú.

Que o pano pesado apronte mais uma das suas, e que a gente possa rir de tudo isso no final outra vez.

SRN

Anúncios